.

.

Páginas

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Relacionamento Bumerangue, Io iô ou vai e volta. Como dar fim a este ciclo?

Io iô, bumerangue, vai e volta.




Vocês já terminaram tantas vezes e voltaram tanto que ninguém sabe o número certo. Um dia estão na santa paz, jurando amor eterno, aproveitando a companhia um do outro Pouco tempo depois, uma briga qualquer e surge aquela famosa frase: é melhor terminar.
Relacionamentos assim são baseados no ciúme excessivo , na desconfiança ou na forma como algum problema foi adiado e na hora da discussão, veio a tona, e se transformou em um caos.
Não há dúvida que este casal se ama, mas a imaturidade impera, de ambos os lados.
Qualquer coisa que fuja a capacidade de compreensão de ambos, acontece o término, que dura poucos dias ou que dura meses.
É um relacionamento destrutivo, onde uma das pessoas tem uma imensa dificuldade em construir, prefere terminar sempre, afinal, é mais fácil dar um basta naquilo que naquela momento incomoda que sentar, conversar, e chegar a uma conversa saudável, sem abalar o estado emocional de ninguém.
A pessoa já se acostumou com isto porque já viveu isto em outras relações, não teve a maturidade para superar e acha que agindo assim, será melhor.




Em vez de tentar superar o erro, a briga, o que incomoda, simplesmente pula fora da relação, mesmo que sofra, sinta falta ou se arrependa de fazer sempre isto.
Relacionamentos assim se mantém por causa da familiaridade, e também por medo de encarar o novo. O ideal seria saber construir. Errou, ouve e melhora. Só que determinadas vezes isto vai se tornando comum e um dia cansa, por mais que tenha amor.
Quando a pessoa mente, promete e não cumpre, faz planos e enche a pessoa de expectativas e nunca muda, em que mesmo a pessoa vai acreditar? Só que ela fica sempre achando que um dia a pessoa vai mudar, mas tudo sempre se repete.
Na hora da briga, a pessoa diz coisas que ouviu durante um desabafo da outra ou em um momento de confiança da outra e joga na cara. Se uma pessoa não pode somar, e ajudar quando a outra precisa, e acha que tem que jogar na cara na hora de uma briga, o que esperar desta pessoa? Nada.
Nada muda se você não mudar. Não adianta você ouvir todo dia eu te amo se a pessoa nada faz para estar ao seu lado como um casal, se você não pode contar tudo para a pessoa pois a pessoa vai te jogar em um momento de briga alguma fraqueza sua como uma vez que adoeceu, ou o que acontece  no seu dia a dia, ou o fato de você achar que podia confiar na pessoa e a pessoa agir desta forma.
Para que servem os relacionamentos? Para que um confie no outro, possa sorrir, compartilhar, chorar e desabafar, seja qual for o problema.
Quando você incomoda a pessoa de certa forma, ele vai jogar isto na discussão, o que você fala.
Para que mesmo ouvir de alguém que você ama e tem consideração tanta brutalidade? Observe o que este relacionamento te traz de positivo e veja como está o seu estado emocional.
Vale a pena continuar neste vai e vem?


Posso te ajudar a ser feliz no amor. Envie e-mail para:

escritoraliliaamorim@hotmail.com







será informado valores, datas e horários.


Lília Amorim
Conselheira Amorosa
Escritora

4 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Como não consegui deixar recado no dihitt vim pessoalmente agradecer, e desejar-lhe uma boa noite.

Lilia Amorim disse...

Oi querido amigo do dihitt.Eu que agradeço sua amizade.Boa noite e seja bem-vindo sempre.

Anônimo disse...

Olá Lilia! Acompanho e adoro seu blog...esse texto foi pra mim!rs. Estávamos bem e por uma discussão banal ele terminou pelo whats pedindo q eu não o procurasse mais,depois me mandou uma mensagem desejando felicidades, não respondi e após isso sumi do APP. Estou pensando em sair de circulação por uns 10 dias,e após isso mexer normalmente. Estou certa em agir assim? Bjs e obrigada.

Lilia Amorim disse...

Oi Diva. Saia de circulação por 20 dias.A partir daí tem que mudar a tática de acordo com o comportamento dele. Se quiser fazer consultoria, faço ele rastejar e parar com estas sandices. Beijos e obrigada pelo comentário.

Postar um comentário