.

.

Páginas

sábado, 23 de agosto de 2014

A Importância Do Amor Na Vida De Todos Nós.


Quando amamos tudo parece fluir maravilhosamente bem. Ficamos repletos de luz, paz e uma imensa gratidão. O amor é vital a nossa vida. Seja ele como vier, será bem-vindo sempre. Trabalhamos com vontade, nossa autoestima fica em alta, temos disposição, cuidamos de nós de forma geral. 
Quando as pessoas perdem o amor da vida delas, quando há separação, quando há conflitos, este quadro todo de harmonia transforma-se gerando a angústia, dor, sofrimento e até mesmo a depressão.
Mas como cultivar sempre o amor? 
Regras não existem, dicas são falhas, isto quem vai descobrir é você. O que você pode fazer é mudar o seu comportamento perante suas atitudes impensadas para não gerar mais sofrimento quando amar. Muitas mulheres perdem o companheiro por excessos. Excessos de ciúme, cobrança, presença. Ele nem tem tempo de sentir a falta dela, ela não deixa.
O caos toma conta do relacionamento e o amor passa a ter outra importância. A importância que antes era agradar, ser você mesma,partilhar, deixar fluir, agora quer respostas para o desamparo, humilhação, tristeza e dor na alma.
Não é fácil ver alguém que você ama te dizer que não te ama mais ou a pior forma: traindo você.
Tem coisa pior que isto? Tem. Você colocar todo seu amor próprio no lixo e querer a todo custo fazer parte da vida da pessoa como mera coadjuvante.
Nesta hora você precisa de alguém para te orientar, te dizer o que fazer, e ter o retorno necessário. Só que você não quer contar para sua melhor amiga, não quer contar para ninguém da sua família, quer discrição. O que fazer? Nesta hora é que você vai precisar do meu trabalho como conselheira amorosa. 

Você pode estar em qualquer lugar do mundo, o atendimento é online (skype ou facebook)ou se preferir através do celular.
O atendimento é de segunda a sexta de 8 as 22 horas, de segunda a sexta.

Lilia Amorim
Conselheira Amorosa
Autora dos livros: COMO FAZER UM HOMEM CORRER ATRÁS
COMO TORNAR-SE A MULHER QUE O SEU HOMEM DESEJA

0 comentários:

Postar um comentário